segunda-feira, 20 de outubro de 2008

A morte anunciada

Não é por uma derrota para a Portuguesa que o esquema 3-5-2 já não serve mais. Basta fazer um exame de consciência e relembrar as atuações tricolores no returno do campeonato nacional. Contra a Lusa eram 3 zagueiros e um "ala esquerdo" que não conseguiu apoiar bem (aliás, uma constante em se tratando do Hélder neste campeonato). Precisamos de tudo isso para se defender de um equipe técnicamente fraca? Penso como Roth que uma boa equipe começa pela defesa. Mas ser a melhor defesa do campeonato e ter um ataque inoperante na maior parte do tempo é demasiada teimosia.

A volta do 4-4-2 manteria a estrutura defensiva do Grêmio, mesmo com a saída de um zagueiro, e ainda agregaria um jogador de técnica mais apurada ao setor de meio-campo. Escolher entre Tcheco, Souza e Douglas Costa é problema do Roth. Mas a presença de dois deles ao mesmo tempo no time é uma necessidade.

Que é sofrido, que sempre foi sofrido e que sempre será assim isso todos nós já sabemos. Apenas torcer por tropeços dos adversários é muito pouco para a grandeza do Grêmio. É preciso usar bem as peças que têm. O sucesso depende de apostas que, neste momento, são muito mais imprescindíveis que ousadas.

3 comentários:

Gastão Cassel disse...

Diego, falta repertório ao Roth. Ele não sabe o que fazer com jogadores. depois que manjaram o esquema do primeiro turno,a festa acabou. Nos resta crer na Imortalidade, na benevolência dos deuses do olímpo esportivo. Que se depender so seu Celso, vai ficar difícil...

Cioatto disse...

O que mais me incomoda é não ter feito gol em uma zaga formada pelo Patrício e pelo Ediglê...

Felipe Lenhart disse...

E o Ortemann, hein? PQP...
Makelelê já! Hahahahaha
(Que deprê, mas fazer o quê?)