quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Metafísicos, uni-vos!

Talvez seja a bola. Parece que ela irrita os jogadores do Grêmio. É o que se pode desconfiar quando se vê a aflição com que todos tentam livrar-se dela. Ninguém sabe direito o que fazer com a esfera e os chutões deixam de ser um recurso extremo para ser um estilo de jogo. E o pior é que na pressa de desfazer-se da bola os caras tocam de qualquer jeito, multiplicando assustadoramente o número de passes errados.
Dizer que o jogo contra o fraquinho Sport inaugurou um novo esquema tático é um excesso de boa vontade. Que esquema? A aplicação de sistemática pressupõe consciência dos jogadores, domínio de situação, objetividade para colocar a bola onde deseja e no pé de quem pode evoluir. Neste jogo, pelo menos, só tinha um monte de afoitos. Até o gol redentor veio de um chute desajeitado e uma intromissão oportuna de Reinaldo. Não foi uma jogada planejada e construída com consciência.
Assim, as chances de chegarmos ao título ficam dependendo de dois fatores metafísicos: a sorte e a mística da imortalidade. Se depender de futebol, está difícil. Se fosse outro clube eu jogaria a toalha, mas é o Grêmio, que sempre vence aos trancos. Então, permaneço esperançoso no tri brasileiro.
Vamos esperar que os eflúvios do imponderado nos façam vencer Cruzeiro, Palmeiras, Vitória e (pasmem!) Ipatinga, lá na casa deles. Que o universo conspire para que nada de inadequado aconteça no Olímpico contra Figueirense, Coritiba e Atlético Mineiro. Só faltam sete jogos.
Enquanto o futebol não chega e o Celso Roth não vai, vamos nos apegar na fé, na camisa, nas cores e no retrospecto da imortalidade. Temos chances metafísicas de sermos campeões. Seremos.

2 comentários:

Felipe Lenhart disse...

É, tá difícil mesmo. Do jeito que o time jogou ontem, os olheiros da Espanha, da Inglaterra e da Itália vão sugerir a contratação do Victor, não do Douglas. Contra o Cruzeiro, vai ser um deus-nos-acuda...

Cioatto disse...

1 a 0 no Cruzeiro... 0 a 0 contra o Palmeiras, todas as vitórias em casa e mais uma contra o Ipatinga. Patroa já está preparando a burka que no ano que vem vamos a Dubai. Tudo isso apesar do Celso Roth.
PS.: "kuro-tri" foi a palavrinha que a ferramenta pediu para eu digitar. É um presságio...