segunda-feira, 17 de novembro de 2008

O Grêmio cola por aí...

Gosto de medir a paixão pelo Grêmio nas pequenas coisas do dia-a-dia. Jamais chegarei a chamar uma filha de Gremina, embora na lápide de meu querido pai haja uma citação ao hino feito por Lupicínio.

Então há uns quinze dias, naqueles piores dias de nossa nação, no meio das incertezas e das desconfianças, muitas ainda não dissipadas, fui comprar canetas - sempre uma azul e uma preta. Na papelaria, observei uns penduricalhos e achei embalagens com dez pequenos imãs do nosso querido Imortal.

Comprei dois saquinhos delas: um para usar os imãs por aí (tem um na porta do carro e um na fechadura do tanque de gasolina da Virago). Há outros oito esperando o lugar mais adequado para grudar. E um joguinho guardei para colocar em um mini campo metalizado de futebol. Que bela peça de decoração!

Um comentário:

Gastão Cassel disse...

Jefe, eu queria que a minha sobrinha se chamasse Danrléia. Mas meu irmão torce pro co-irmão...