terça-feira, 10 de março de 2009

A decisão é agora!

Sobre todo o anti-rothismo, tema corriqueiro dos gremistas nos dias atuais, está o jogo da vida (ou da morte) do Grêmio na Libertadores 2009. Se vencer, cabeças não rolam e o Tricolor assume a liderança do seu grupo ao lado do Universidad do Chile. Se empatar, joga ainda mais pressionado diante do Aurora da Bolívia. Se perder, a casa cai de vez.

Não que este time esteja desacostumado com situações como esta, pelo contrário. Está inerente à história do Grêmio desde seu princípio. Mas 90 minutos podem decidir o que será feito no decorrer do ano inteiro.

Servir em uma bandeja a cabeça de Roth a torcida após um fracasso pode acalmar, mas não resolve os problemas. Elimina um, mas cria outro: quem vai comandar uma equipe sedenta por vitórias e títulos? Se os três pontos forem conquistados Roth fica, e a novela continua até o jogo diante dos bolivianos.

Entre a cruz e a espada está o torcedor, a América, quissá o Mundo. No Olímpico uma bomba-relógio prestes a explodir. Se isso acontecer muita coisa muda. Só não muda a esperança do torcedor gremista em dias melhores. Esta é eterna.

Um comentário:

Gastão Cassel disse...

Pois é, Diego, faz a gente pensar que o problema é maior, que está no âmbito da direção do clube, da capacidade de planejamento e condução das situações. Para nós fica tudo nebuloso e com um horizonte incerto.
Para variar, cabe a gente torcer, torcer e torcer. Por sucesso no campo e sorte fora dele.