terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Dois pesos e uma medida

O título nacional de 1996 tem mais valor que um título neste ano (se ele vier, obviamente). As circunstâncias são distintas, claro. Em 96 o Grêmio manteve a espinha dorsal da equipe campeã da Libertadores do ano anterior. Neste ano o time foi remodelado e passou por diversas turbulências no primeiro semestre, mas chegou vivo na última rodada do Nacional. Se considerarmos apenas este aspecto, o possível título de 2008 parece ter um peso maior. Entretanto, somente se levarmos em conta este quesito.

Nos demais, 96 valeu mais. A explicação é simples: Excluindo os gremistas, todos os seres humanos deste planeta torceram pelo título da Lusa. Após a primeira partida, em que o Tricolor foi derrotado por 2x0, a folia da imprensa do sudeste exacerbava qualquer padrão de jornalismo imparcial. E após o canhão de Aílton no jogo de volta, o que se viu foi a rendição de todos ao Grêmio Guerreiro (e Copeiro).

Agora é diferente. Todos acreditam no título do São Paulo. Novamente nós somos os únicos "do contra". Mas a torcida da maioria parece ser contra o hexa são-paulino. No próximo domingo o Grêmio não vai desafiar a "pseudo-lógica" como em 1996. Vai precisar somente ser GRÊMIO, e torcer por um Paulo Baier inspirado. É por isso que acreditamos tanto!

Um comentário:

Orly disse...

Fala Diego... blz?
Parabéns pelo texto, concordo com você. Ah, espero um Baier inspirado mesmo...
Força Grêmio
Abraços