domingo, 4 de outubro de 2009

Mais ou menos

Não há muito o que falar do Grêmio nos últimos tempos. Não há novidades num time em que se pratica um futebol correto e... mais ou menos. Isso mesmo: mais ou menos, morno, desmotivado, meia boca, mediano. Já disse em outro post que não é nada muito abaixo nem acima dos outros competidores do Brasileirão. Mas é mais ou menos.

O que mais me constrange é que o Grêmio está perdendo a cara de Grêmio. Não é aquele time copeiro, raçudo e de superação. Pratica um futebol correto, baseado num princípio tático e organizativo. Não é um bando de aloprados dando chutões, justiça seja feita. Mas cadê a raça? A pegada? A dividida?

Como um pêndulo, o Grêmio fez um vôo sem escala da mediocridade do outro técnico para a fleuma do Autuori e parece que perdeu no caminho o principal item de sua bagagem, justamente sua alma castelhana.

Não desmereço o trabalho competente do treinador. Só que a sua fala mansa e educada parece fora de lugar no Olímpico. Cogito que sua falta de empolgação se espraia para dentro de campo, onde os jogadores também ficam educados e fleumáticos.

Não é assim que o Grêmio ganha. Nunca foi. Nem vai ser com este futebolzinho mais ou menos.

3 comentários:

Upiara Boschi disse...

Não adianta ficar procurando explicação no além. Esse time toma muito gol. Aí é com o Autuori, não é falta de alma castelhana.

Diego Zucolotto disse...

Foi com futebol mais ou menos que sempre levantamos taças. O torcedor ficava nervoso, irritado roendo as unhas, mas no fim tudo acabava bem. Hoje a situação é outra. Falta aquela raça de outros tempos sim, mas falta também um algo mais que ainda não consegui identificar o que é.

Gastão Cassel disse...

Ora, Diego, o que falta é um primeiro volante de verdade, uma reencarnação do Dinho, que grite e faça a diferença na frente da área.